Pular para o conteúdo
Início » Música » 10 Instrumentos Musicais Exóticos e Pouco Conhecidos

10 Instrumentos Musicais Exóticos e Pouco Conhecidos

    Descubra uma lista incrível de 10 instrumentos musicais exóticos e pouco conhecidos que vão levar a sua experiência musical a um novo nível. Se você está cansado dos instrumentos mais comuns e busca por algo único e surpreendente, você veio ao lugar certo.

    A música é uma manifestação artística presente em todas as culturas e ao redor do mundo, e cada região tem sua própria variedade de instrumentos peculiares e fascinantes. Neste artigo, vamos explorar alguns desses instrumentos que são verdadeiras joias escondidas.

    Prepare-se para se encantar com sons e estilos musicais incomuns enquanto descobre a riqueza da música e expande seus horizontes.

    1. Hang Drum

    Um dos instrumentos musicais exóticos e pouco conhecidos é o Hang Drum. Originário da Suíça, o Hang Drum é um instrumento de percussão que possui uma aparência única e um som melódico e encantador. Feito de aço e com uma forma semelhante a uma tigela, o Hang Drum produz sons hipnotizantes quando é tocado com as mãos ou com baquetas especiais.

    O Hang Drum é conhecido por criar uma atmosfera relaxante e tranquila, ideal para meditação e terapia sonora. Sua sonoridade suave e envolvente atrai pessoas de diferentes culturas ao redor do mundo. Além disso, o instrumento é muito versátil e pode ser usado em diversos gêneros musicais, como o jazz, world music e música ambiente.

    Se você procura experimentar novos sons e explorar a diversidade musical, o Hang Drum é uma excelente opção. Sua sonoridade distintiva e seu apelo visual o tornam um instrumento cativante e fascinante. Não deixe de conhecer e se encantar com as belas melodias que esse instrumento pode produzir.

    2. Nyckelharpa

    A Nyckelharpa é um instrumento musical sueco de cordas. Com origem no século XIV, esse instrumento único tem um som semelhante ao de um violino, mas com uma sonoridade distintamente medieval. Seu nome significa “harpa de teclas” em sueco, referindo-se às pequenas teclas que o músico usa para pressionar as cordas e alterar a afinação.

    O corpo da Nyckelharpa é feito de madeira e geralmente possui um formato semelhante ao de um violino. Ele tem um conjunto de cordas de ressonância que são tocadas através de um arco, assim como um violino. No entanto, o que torna a Nyckelharpa única são as suas teclas, localizadas no topo do instrumento, que o músico pode pressionar para alterar a afinação das cordas durante a execução.

    Esse instrumento fascinante é popular na música folclórica sueca e também tem encontrado seu lugar em gêneros como música clássica contemporânea e até mesmo o folk metal. Com seu som distinto e aparência intrigante, a Nyckelharpa certamente impressiona e encanta qualquer pessoa que a ouça pela primeira vez.

    3. Daxophone

    O terceiro instrumento da nossa lista é o Daxophone. Este instrumento musical exótico e pouco conhecido foi inventado pelo músico alemão Hans Reichel. O Daxophone atravessa os limites da música convencional, produzindo sons únicos e intrigantes.

    O Daxophone consiste em uma placa de madeira com uma ranhura em forma de V. Os músicos utilizam um arco para friccionar a placa, gerando vibrações que são amplificadas e transformadas em som. O som resultante é semelhante ao de um instrumento de sopro ou até mesmo de uma voz humana, dependendo da forma como é tocado.

    Embora o Daxophone não seja amplamente conhecido, tem sido utilizado por músicos experimentais e vanguardistas para explorar novas possibilidades sonoras. Sua sonoridade única o torna uma opção interessante para músicos que desejam agregar elementos criativos e inusitados às suas composições.

    4. Didgeridoo

    O didgeridoo é um instrumento musical de sopro originário dos povos aborígenes da Austrália. É feito de um tronco oco de árvore e produz um som característico e hipnotizante.

    O principal material usado na construção de um didgeridoo é o eucalipto, mas também existem versões feitas de bambu e outros tipos de madeira. Seu formato longo e cilíndrico, combinado com a abertura estreita na extremidade, permite a produção de um som grave e contínuo.

    Para tocar o didgeridoo, o músico utiliza a técnica de respiração circular, que consiste em inspirar pelo nariz enquanto sopra de forma rítmica e constante pelo instrumento. Essa técnica cria um som de “zumbido” característico, que pode ser manipulado através de variações na língua e na cavidade bucal.

    O didgeridoo é um instrumento único e versátil, capaz de produzir uma ampla variedade de sons, desde profundos e ressonantes até agudos e estridentes. É utilizado tanto em performances solos quanto em conjunto com outros instrumentos, e sua sonoridade peculiar adiciona uma atmosfera exótica e misteriosa à música.

    5. Ondes Martenot

    O Ondes Martenot é um instrumento musical eletrônico e de teclado que foi inventado em 1928 pelo músico francês Maurice Martenot. Ele é conhecido pela sua sonoridade única e distinta, que muitas vezes é comparada ao som de um theremin combinado com um órgão.

    O Ondes Martenot utiliza um sistema de osciladores e alto-falantes que produzem um som rico e expressivo. Ele possui um teclado sensível à pressão, que permite ao músico controlar a dinâmica e o timbre do som.

    Embora tenha sido usado principalmente na música clássica e contemporânea, o Ondes Martenot também foi incorporado em gêneros como rock e música eletrônica. Ele foi utilizado por compositores renomados, como Olivier Messiaen e Jocelyn Pook.

    6. Theremin

    O Theremin é um instrumento musical eletrônico, inventado pelo inventor russo Léon Theremin em 1919. Ele é um dos instrumentos mais antigos e pouco conhecidos, mas possui um som único e exótico que cativa quem o escuta.

    O Theremin é tocado sem qualquer contato físico com o instrumento. Ele consiste em duas antenas, uma vertical e outra horizontal. Ao mover as mãos ao redor dessas antenas, o músico cria mudanças nas ondas de rádio geradas pelo instrumento, produzindo diferentes notas musicais e efeitos sonoros.

    Este instrumento é conhecido por sua sonoridade etérea e misteriosa, sendo utilizado em trilhas sonoras de filmes de ficção científica e em composições experimentais. Ele oferece uma ampla gama de possibilidades musicais e pode ser usado tanto em música clássica quanto em música eletrônica contemporânea.

    7. Waterphone

    O Waterphone é um instrumento musical fascinante e pouco conhecido que cria sons únicos e misteriosos. Este instrumento experimental foi inventado pelo músico e inventor americano Richard Waters na década de 1960. Ele consiste em um recipiente de metal com hastes de metal que se estendem para fora.

    Para tocar o Waterphone, o músico mergulha as hastes de metal em água ou as faz vibrar com as mãos, criando assim uma gama de sons que se assemelham a sons de fantasia ou de suspense em filmes.

    O Waterphone é frequentemente usado em trilhas sonoras de filmes e música experimental, devido à sua capacidade de evocar uma atmosfera única. Seu som evocativo e etéreo pode adicionar um toque de mistério e magia às composições musicais.

    • Sons misteriosos: O Waterphone é conhecido por produzir sons misteriosos e etéreos, que podem ser utilizados para criar atmosferas únicas em composições musicais.
    • Instrumento experimental: O Waterphone é considerado um instrumento experimental devido à sua construção única e aos sons peculiares que produz.
    • Utilização em trilhas sonoras: O Waterphone é frequentemente utilizado em trilhas sonoras de filmes para criar uma atmosfera de suspense e mistério.

    Experimente adicionar o som evocativo do Waterphone às suas composições musicais e descubra as possibilidades sonoras deste fascinante instrumento musical pouco conhecido. Sua natureza única certamente irá surpreender e encantar os ouvidos dos ouvintes.

    8. Balalaika

    A balalaika é um instrumento musical de cordas tradicionalmente russo. É conhecido por seu formato triangular distintivo e seu som único. A história da balalaika remonta ao século XVIII, e seu nome deriva da palavra russa “balakat”, que significa “falar”, devido à capacidade do instrumento de expressar emoções intensas.

    A balalaika é tocada com os dedos ou com uma palheta, chamada “priapik”. Possui três cordas de aço e tem um som brilhante e distintivo. É comumente usado em música folclórica russa, mas também pode ser encontrado em outros gêneros musicais, como música clássica e jazz.

    Ao longo dos anos, a balalaika passou por algumas modificações, incluindo o aumento do número de trastos e a adição de uma corda extra. No entanto, a versão mais reconhecida e popular é a balalaika de três cordas.

    • A balalaika possui uma rica tradição na música russa e é frequentemente usada em performances folclóricas e concertos.
    • É um instrumento versátil que pode ser usado para acompanhar danças, contar histórias e transmitir emoções.
    • Seu som característico e sua aparência única tornam a balalaika um instrumento fascinante para os entusiastas da música.

    Se você está procurando explorar novas sonoridades e expandir seus horizontes musicais, a balalaika é uma escolha interessante. Sua história rica e sua trajetória na música russa a tornam um instrumento único e digno de ser descoberto.

    9. Guimbri

    Descubra o fascinante som do Guimbri, um instrumento musical exótico e pouco conhecido que tem raízes na cultura africana. Originário do Marrocos, o Guimbri é um instrumento de cordas que pertence à família do alaúde. Com um corpo em forma de tigela e três cordas, o Guimbri é tocado com as mãos e produz um som rico e encantador.

    O Guimbri é amplamente utilizado na música Gnawa, uma forma tradicional de música espiritual do Marrocos. Os músicos Gnawa são conhecidos como “Maâlems” e tocam o Guimbri como instrumento principal em suas apresentações. É um instrumento poderoso, que possui um som hipnótico com um ritmo pulsante.

    O som único do Guimbri é resultado da combinação das cordas, do corpo de madeira e das técnicas de percussão. Os músicos habilidosos conseguem obter uma variedade de sons, desde graves profundos até agudos marcantes. Além disso, o Guimbri é frequentemente acompanhado pelo uso de chocalhos e tambores, criando uma atmosfera vibrante e energética.

    10. Erhu

    O Erhu é um instrumento musical de cordas muito conhecido na cultura chinesa. É frequentemente chamado de “violino chinês” devido à sua semelhança com esse instrumento. O Erhu possui apenas duas cordas, feitas tradicionalmente de seda, e é tocado utilizando um arco.

    As notas musicais são produzidas pressionando as cordas e deslizando o arco sobre elas. O som do Erhu é suave e melodioso, com um timbre característico que evoca um sentimento de nostalgia e tristeza. Esse instrumento é comumente utilizado em performances solo e em conjunto com outros instrumentos em orquestras chinesas.

    • O Erhu tem mais de mil anos de história e é considerado um dos instrumentos mais antigos da China. Sua origem remonta à dinastia Tang, por volta do século VIII.
    • Por ser um instrumento de fácil transporte e versátil, o Erhu é muito popular tanto na China como em outros países ao redor do mundo. É comumente usado em apresentações de música clássica chinesa, música folclórica e até mesmo em alguns estilos de música ocidental.
    • O Erhu é conhecido por sua técnica única de vibrato, na qual o músico movimenta o dedo indicador rapidamente sobre a corda para produzir um efeito de vibração no som.
    • Além disso, o Erhu também possui uma ampla gama de expressividade, permitindo que o músico transmita emoções intensas através da música. É um instrumento capaz de reproduzir tanto melodias delicadas e suaves quanto passagens mais virtuosísticas.

    Se você está interessado em explorar novos sons e culturas musicais, o Erhu é definitivamente um instrumento que vale a pena conhecer. Sua musicalidade única e tradição histórica o tornam uma adição fascinante para qualquer composição musical ou performance.